Veja como prevenir as quedas de idosos

Quedas de idosos podem levar à perda de mobilidade e à depressão.

À medida que o tempo passa, nosso corpo passa por alterações inevitáveis. A redução da visão e da audição estão entre as consequências mais comuns do envelhecimento, mas deformidades músculo-esqueléticas, redução da massa muscular e alterações no equilíbrio e na mobilidade de modo geral também podem ser notadas com a chegada da terceira idade. O somatório dessas condições acaba aumentando a incidência de quedas de idosos, um dos acidentes mais comuns – e perigosos – nessa fase da vida.

Quedas de idosos podem levar à depressão

Segundo o Ministério da Saúde, um em cada três idosos cai pelo menos uma vez ao ano no Brasil. Entre as pessoas acima de 80 anos, a probabilidade de quedas pode ultrapassar os 50%. Na maioria dos casos, os acidentes acontecem dentro de casa. As consequências das quedas são particularmente nocivas na terceira idade, incluindo fraturas ósseas (principalmente de fêmur e de quadril), traumas cranianos, risco acentuado de novas quedas, depressão e até aumento da mortalidade.

Quedas podem acarretar fraturas e perda de mobilidade. Fotos: Shutterstock

Em metade dos casos de fratura, o idoso se torna dependente após a recuperação. As consequências negativas não param por aí: as quedas acabam afetando a qualidade de vida, pois reduzem a mobilidade diária e a frequência de atividades sociais e recreativas. Com tantas sequelas negativas, fica fácil entender por que a prevenção de quedas de idosos tornou-se uma questão de saúde pública.

Prevenir quedas de idosos requer adaptações

A prática de exercícios físicos, aliada a uma alimentação saudável, ajuda a prevenir o declínio funcional no organismo e contribui para evitar o envelhecimento precoce. Mas não há como garantir que as quedas de idosos serão evitadas em virtude dos exercícios e da dieta. Por isso, é fundamental que a casa do idoso – ou o local onde ele vive – seja adaptada para diminuir o risco de acidentes.

As alterações precisam levar em conta uma série de fatores. Algumas das recomendações mais comuns incluem:

– Evitar texturas de pisos que possam ser escorregadias

– Desobstruir o caminho, retirando obstáculos, como brinquedos

– Instalar sensores de presença para iluminação de alguns locais específicos, como corredores, por exemplo

– Providenciar interruptores ao lado da cama ou instalar algum objeto luminoso, como abajures ou lamparinas, para que seja possível ver o quarto antes de se levantar

– Colocar adesivos antiderrapantes nos degraus das escadas

– Instalar barras de apoios nas proximidades das escadas, além de corrimãos dos dois lados

– Prender tapetes no chão ou evitar o seu uso

– Não deixar a fiação de aparelhos eletrônicos espalhada pelo chão

– Optar por cadeiras e sofás altos e com almofadas duras, com encosto para os braços, para facilitar na hora de sentar e de levantar

– Substituir o box de vidro do banheiro por cortinas

– Providencie uma cadeira ou banco de apoio dentro do box, para facilitar a movimentação durante o banho

– Evitar irregularidades no piso

– Preferir sapatos com solados aderentes

– Invista em iluminação em todos os cômodos.

Gosta das nossas dicas de saúde? Então deixe um comentário!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *