Confira os benefícios do hipismo na terceira idade

A prática regular do hipismo pode trazer vários benefícios para a saúde dos idosos.

hipismo é um esporte que causa fascínio, principalmente pela harmonia entre cavaleiro e cavalo. E enganam-se os que pensam que essa modalidade, devido aos desafios característicos, pode ser praticada apenas pelos mais jovens e fisicamente bem preparados.

Com supervisão, pessoas de todas as idades, até mesmo idosos, podem se aventurar no esporte equestre e, o que é melhor, ganhar benefícios para a saúde.

Idosos podem praticar modalidades mais tranquilas do esporte. Foto: iStock, Getty Images

Um dos fatores que fazem muitos idosos fugirem do hipismo como opção desportiva é o fato de as modalidades mais conhecidas envolverem saltos e manobras que coloquem em risco a integridade física do praticante.

A boa notícia é que o esporte tem etapas mais tranquilas e sem obstáculos, como a cavalgada, que pode ser praticada até mesmo em trilhas rurais e à noite. Além disso, é cada vez mais utilizada para fins lúdicos e terapêuticos.

O hipismo proporciona qualidade de vida aos idosos

Muitos, com a chegada da terceira idade, apresentam problemas de saúde resultantes de uma vida com pouca ou nenhuma atividade física. Além disso, o que começa a afetar o corpo costuma atingir a autoestima, trazendo consequências psicológicas e emocionais.

A prática do hipismo, para esses casos, se torna um grande aliado da melhora na qualidade de vida dos idosos. Isso porque o esporte desenvolve o equilibrio físico e mental, além de estimular a concentração, a memória e a confiança.

O hipismo no auxílio a pessoas com deficiência

As limitações muitas vezes impostas por uma patologia precisam do estímulo correto para serem transpostas. É na terceira idade que as pessoas com deficiência sentem mais dificuldade de lidar com ela. Nessa etapa, o hipismo serve como uma parte importante do tratamento terapêutico.

Para pessoas com deficiência visual, acometidas por cegueira ou baixa visão, o esporte auxilia, e muito, na orientação e mobilidade. Ele promove o equilíbrio, a concentração e o domínio sobre os músculos e a postura.

Mesmo deficientes intelectuais como autistas, pessoas com Síndrome de Down, com esquizofrenia e até psicóticos podem ser beneficiados pelo hipismo.

A deficiência física também não é problema para os que querem se aventurar no esporte. Se praticado com técnicas e orientações adequadas, as pessoas podem se transformar em exímios cavaleiros. A atividade melhora o sistema cardiorrespiratório e dá mais resistência e força para quem a pratica.

Como fazer para praticar?

Não possuir um cavalo ou não querer investir um valor alto em materiais essenciais para a prática já não são mais desculpas para abandonar a ideia de fazer o esporte. Há muitos centros de equitação que oferecem tudo o que é necessário para começar a cavalgar. Assim como em uma academia, os treinos têm hora marcada e tempo limite de prática.

Se o que lhe impede de começar essa atividade é o medo de cavalos, saiba que você não está sozinho. Há muitos tipos medos e saber identificar qual é o seu pode ajudar. Visite um centro de equitação, uma fazenda aberta ou um haras para começar a ter convívio com esse animal que, além de dócil, é muito inteligente e companheiro.

Se o seu medo for intenso e inexplicável para você, talvez seja na palavra equinofobia que ele encontre uma resposta. Essa patologia é o medo excessivo de cavalos. Nesse caso, procure um profissional da área de psicologia para lhe ajudar a superar essa fobia e começar a se beneficiar do melhor que o hipismo pode oferecer.

Gostou das dicas de atividade física? Então deixe um comentário!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *